A arte de poetar

101

A arte de poetar

A finitude
É incapaz
De abraçar o infinito

Não obstante
O infinito, quando lhe aprouver,
É capaz de ecoar na alma humana
Desde que esta abrigue em seu seio
A sensibilidade poética
Que se inspira no transcendente

A poesia se alimenta
Do mergulho da alma finita
No seio da infinitude

Assim, a arte de poetar
Nasce nos raros momentos
Em que a sensibilidade do peregrino
Entre em sintonia com a eloquência
Do silêncio da eternidade

Eis porque
A maior virtude do poeta
É a humildade!

Lothar Carlos Hoch
São Leopoldo, 30/11/2013

Anúncios

Água da vida

agua-2Água da Vida

Água, fonte da vida,
Sobre ti já pairava
O Espírito de Deus
No ato da criação

Em teu seio
Fomos tecidos
De forma maravilhosa
No ventre de nossa mãe

A cada dia nós, viventes,
Saciamos nossa sede
Nos mananciais de água viva
Que continuam a jorrar do chão

Por isso, Senhor, como teus cúmplices
No cuidado da criação,
Dá que cumpramos fielmente
Essa sagrada vocação

Afim de que todos juntos
Em alegria e gratidão
Entoemos a sinfonia da vida
Em palavra e ação

Por fim, Senhor, em tua graça,
Conduze-nos às fontes da água viva
Para que, imersos em teu Espírito,
Jamais voltemos a ter sede!

Lothar Carlos Hoch
São Leopoldo, 25/04/2013

 

A busca pelo sentido da vida

 

A busca pelo sentido da vida

O primeiro passo na busca
Pelo sentido da vida
Consiste em tentar ser e viver
Para além de nós mesmos

Enveredar por este caminho
Pressupõe a consciência
De que somos apenas um elo
Na corrente de gerações

Implica saber também
Que as pessoas que nos antecederam
Deixaram-nos um precioso
Legado de valores

Destarte, a busca pelo sentido da vida
Nasce no solo da humildade
E se aperfeiçoa no amor pelas pessoas
Especialmente as mais carentes.

Lothar Carlos Hoch
São Pedro do Sul, 06/10/2013

 

 

Poesias e paixões

Poesias e Paixões

Poesias geradas com calma
brotam do fundo da alma
evocam grandes amores
de tempos passados:
os felizes, os frustrados
e os repletos de dissabores

Velhos amores vividos
no peito ardem sofridos
instigando os instintos
e provocando palpitações
no recôndito dos corações,
qual vulcões semi-extintos

Paixões antigas
outrora vividas
são fogo candente
que ao longo do tempo
com o soprar do vento
viram brasa ardente.

Lothar Carlos Hoch
Praia da Pinheira, 15/11/2014