O pássaro da meia-noite

coruja

O pássaro da meia-noite

Ó pássaro sinistro
que canta à meia-noite
tragédia a anunciar…

Afasta-te de mim!
Teu canto
me impede de respirar

Vá cantar em outra freguesia!
Estás minha angústia
a despertar

Pássaro sinistro
por que insistes
em me perturbar?

Não te aninhes
em minha alma
eu preciso descansar!

… ou seria, porventura,
teu canto sinistro
o eco
de minha própria angústia
que há muito estou a afogar?

Lothar Carlos Hoch
São Leopoldo, 20 de outubro de 2010.

O outro lado

dsc01158O outro lado

O outro lado
da lua,
assim se sabe,
é
frio
escuro
e deserto…

O outro lado
da vida,
assim se crê,
seria
felicidade
aconchego
e paz…

Daí resulta
nossa incerteza :
como apostar na vida
que fica no lado de lá…
se nós só enxergamos
o lado de cá…?

L.C.Hoch
S.L., 04/10/2014

O mistério do ser

 

dsc05392

O mistério do ser

Vivo
Tanto o hoje
Quanto o passado
E o futuro

Sou um elo
Na corrente das gerações
Que me precederam
E das que haverão de me suceder…

Enfrento desafios, alegrias e pesares
Semelhantes aos que aquelas viveram
E às futuras gerações que haverão de viver

Não obstante,
Minha vida e meus desafios atuais
São distintos dos de tempos passados
E dos tempos que estão para vir

Assim,
Mesmo que estejamos unidos
Pelo mesmo destino
Meus dias
Meus sonhos
E minhas dores
São absolutamente singulares

Pois sou parte do Mistério da vida
Que tudo abarca e a tudo transcende
Dele procedo
E nele estou imerso

Eis porquê
Espero, de forma serena e confiada,
Que eu possa um dia
Repousar no meu próprio ser
Na certeza de estar bem guardado
No recôndito sagrado do Eterno Ser.

Lothar Carlos Hoch
Praia da Pinheira, 28/01/2014