A morte

2009-05-15 045

A morte

Oh, morte!
Tu estás sempre à espreita
Seja à esquerda
Ou à minha direita

És como um visitante
não convidado
que insiste em ficar
sempre ao meu lado

Assim como há
os que temem tua chegada,
há outros que anseiam
pela tua chamada

Por isso te imploro sinceramente,
Quando o sofrimento vier me atormentar,
que seja forte a minha fé
e que eu não me ponha a lamuriar

Humildemente, também
por esta graça te peço
que, quando a minha hora chegar,
me envolvas no teu manto sagrado de paz
e que eu ouça, ao longe, o coro dos anjos a cantar.

L.C.HOCH (S.L., 30/06/2015)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s