Interlúdio com a morte

45

Interlúdio com a morte

Os interlúdios com a morte
se aninham em nossa alma
meio de soslaio
ao longo do processo
de envelhecer

Por vezes
a gente se surpreende
com a pergunta:
o que ainda quero
e ainda posso
abraçar?”

Ou com que
projetos de vida
longamente acalentados
… e postergados
devo aos poucos
deixar de sonhar?

Lothar Carlos Hoch
23/12/2014

Anúncios

Alma-1

IMG-20170118-WA0009 (2)

Alma-1

Através da Alma
nosso ser entra em sintonia
com os acordes
do Infinito

Por meio dela
nós humanos
tangenciamos
a borda das vestes
que encobrem a face
do Altíssimo

E, ainda que envoltos
pela imensidão gélida
do infinito abismal,
nos sentimos protegidos
por uma brisa leve e cálida
que aquece o âmago do nosso ser

 

Lothar Carlos Hoch
São Leopoldo, 25/04/2013

Tua presença

DSC01656

Tua presença

 

A tua presença é misteriosa
sublime
enigmática

Tua presença me envolve
oferece aconchego
me conforta

Tua presença me inspira
amplia horizontes
põe-me em sintonia
com um todo maior

Tua presença
me concede paz

Todavia,
preciso confessar,
vivo momentos em que
sinto Tua presença
como angustiosa ausência.

Lothar Carlos Hoch
São Leopoldo, 16/09/2012

Sofrimento

DSC00145                                                                                                                   Diego de los Campos                                                                                       

Sofrimento

Sofrimento…
Para que existes afinal?
Para me importunar ou revoltar,
Para testar meus limites, me punir?

Honestamente…
Ainda que assim seja,
Deve existir uma razão mais profunda
Para justificar tua incômoda existência!

Pois…
Tão pesado quanto a dor que me aflige
É a angústia de querer entender
O porquê deste tormento!

Talvez…
Seja mui estreita minha mente
E pequena demais a minha alma
Para desvendar este mistério

Ainda assim…
Minha intuição leva-me a crer
Que, quando permites
Que eu experimente deste fel,
Tu queres que eu me conheça
De forma mais profunda

E que
Através da dor queres me ensinar
A ser mais comedido
Em julgar o outro,
E mais cauteloso
Em meu afã de
Dar conselhos àquele que sofre!

Praia da Pinheira,
27/12/2011

Publicação livro “Meditações Poéticas”

meditaçoes

 

Temos a grande felicidade de informar que um sonho ha muito tempo acalentado por mim se realizou. Trata-se da publicação de um livro de poesias intitulado “Meditações Poéticas”.

O mesmo chegou ontem em nossa casa e nós nos alegramos muito. Quando abrimos a caixa com os livros e tomamos a “criança” em nossas mãos, sentimos uma grande emoção.

Ao longo do exercício do ministério pastoral e posteriormente como professor de teologia na Faculdades EST, em São Leopoldo, preparei muitas aulas, redigi muitas pregações e publiquei diversos livros com conteúdo teológico-pastoral. Sempre gostei de fazê-lo.

Mas nos últimos anos, quando Sabine e eu nos aposentamos e viemos residir aqui na Praia da Pinheira, passamos a valorizar mais a música, a poesia e as tonalidades da natureza. Em outras palavras, fomos ensaiando novas formas de expressar o que se move em nossa alma.

E assim, aos poucos, foram surgindo os primeiros versos poéticos. E na medida em que eu ia me dedicando a arte de poetar, também ia crescendo minha coragem de me abrir para os movimentos interiores que brotavam da minha alma.

Sabine e eu esperamos que também vocês, leitoras e leitores, consigam apreciar nossas humildes “Meditações Poéticas” em forma de livro.

Haverá o lançamento do mesmo no dia 14/11/2017 na Praia da Pinheira e em data ainda a ser divulgada em São Leopoldo.

Informamos que o livro pode ser adquirido junto a Editora Grafar (https://www.livrariagrafar.com.br/livros/meditacoes-poeticas.html) ou diretamente com o autor pelo e-mail lotharchoch@gmail.com

 

Pelos 500 anos da Reforma Protestante

500 Anos

Pelos 500 anos da Reforma Protestante

Nascido filho de mineiro rude
Martim Lutero teve mãe piedosa
Abençoada com a virtude
De possuir um’ alma carinhosa

Ainda jovem Lutero ingressou
Em um convento medieval
E como monge se empenhou
A discernir entre o bem o mal

Ao retornar a seu berço natal
Pôs-se com paciência a escutar
As dores dos fiéis em geral
Que os estavam a atormentar

Vendo o pesado sofrimento
Que a Igreja lhes imputava
Afixou 95 teses pra discernimento
Na porta da igreja onde atuava

A mensagem da graça divina
Como um fogo se espalhou
E de uma forma genuína
O coração dos fiéis tocou

Ao se opor a papa e imperador
Com enorme destemor
Encontrou quem o acolheu
E em lugar seguro escondeu

Enquanto o tempo se escoa
A mensagem da Reforma
Em muitos corações ecoa
E a vida dos fiéis transforma

Cabe a nós nos tempos atuais
Mesmo tendo afazeres demais
Perscrutar nosso coração
Se é sincero nosso amor cristão.

L.C.Hoch
Praia da Pinheira, 12/03/2016

Sombras da Alma

DSC03175

Sombras da Alma

Ó alma minha!
Por que palpitas aflita
em minhas entranhas?

Que sombras são essas
que se contorcem dentro em mim,
qual ondas gigantescas
que ameaçam abalar
os fundamentos do meu ser?

Como perscrutar
tuas razões?

Sendo elas parte intrínseca do meu ser
como podem me surpreender
tão impiedosamente?
Ou, porventura, teria eu deixado
de ser senhor em minha própria casa?

Por isso conclamo-te, alma minha,
alia-te a mim
na busca pelas razões
que tanto me assombram!

Tentemos ser parceiros
na espinhosa via de descobrir
os motivos da nossa angústia!

Só assim voltarei a ter prazer
de habitar em paz
no seio do meu ser,
mesmo que eu tenha que pagar
o pesado tributo de sofrer.

Lothar Carlos Hoch
21/09/2011

O caminhar

495

O caminhar

A sabedoria
dá seu primeiro passo
quando descobrimos
que tão importante
quanto ao alvo chegar
é a caminho estar

O estar a caminho
por sua vez pressupõe
que estejamos dispostos
a nos perguntar
se na busca do nosso alvo
é respeitosa e solidária
a nossa maneira de caminhar.

Lothar Carlos Hoch
São Leopoldo, 10/06/2014

Transitoriedade

DSC07178b.JPG

Transitoriedade

Quão profundo é nosso anseio de permanecermos para sempre!
Talvez nem tanto pelo desejo de viver fisicamente,
Pois nos resta uma dose suficiente de consciência de que,
Com o passar dos anos, o fardo de viver pode tornar-se impiedosamente pesado
Tanto para nós mesmos quanto para os contemporâneos que nos são mais próximos.

Assim,  nos satisfazemos com a esperança de que algumas reminiscências
De nossa existência fiquem preservadas
Seja pela memória dos nossos familiares ou amigos mais fiéis,
Seja por alguma causa que abraçamos e que está sendo levada adiante,
Seja por alguma obra de arte, um livro, uma composição musical, uma poesia…
Ou porque conscientemente, ou mesmo por acaso,
Tenhamos nos tornado protagonistas
De um acontecimento considerado histórico

Quão difícil é passar o bastão da vida
Às gerações que vêm e ainda haverão de vir!
Como é difícil desocupar o espaço social
Que ocupamos durante algum tempo entre nossos contemporâneos,
Mesmo sabendo que outros fatalmente o virão a ocupar!
Quão grande é o apego à vida, às pessoas,
Às causas que abraçamos e às ideias que defendemos!

Por que não nos conformamos com o fato de que somos
Apenas um elo na corrente de gerações que passa?
Ou não temos consciência de que
Mesmo deixando algum legado,
Este tanto pode dignificar, quanto envergonhar a nossa espécie?

Em vista disso, mesmo envelhecendo – ou talvez justamente por isso! –
Continuo tendo dificuldade para aceitar o desígnio de minha transitoriedade.
Ainda que eu veja crescer em mim a consciência de que,
Se não fosse um ser transitório, eu seria um inveterado procrastinador,
Que passa o tempo adiando todos os meus projetos e ideais.

Assim, aos poucos, sobretudo em momentos,
Em que a lucidez exorciza minha ilusão
E a inspiração se sobrepõe ao egocentrismo,
Consigo vislumbrar a Sabedoria
Que rege nosso humano desígnio

E nesses raros momentos
Consigo ser grato pelo privilégio
De poder ser simplesmente um dos protagonistas
– Ainda que insignificante e durante um breve momento –
Da grande Sinfonia da Vida
Que se estende de forma magnífica e misteriosa ad aeternum.

Lothar Carlos Hoch
São Leopoldo, 30/08/2012